A parábola dos três instrutores.

Vocês, talvez tenham ouvido falar da parábola dos três pedreiros, mas eu vou contar uma história muito melhor, a história de três instrutores em uma academia. 

Certa vez, um cliente novo chegou na academia e na sala de musculação deparou-se com três instrutores, ele notou pequenas diferenças em cada um, mas como precisava de ajuda, dirigiu-se ao que estava mais livre. Cumprimentou-o e pediu auxílio, ele se prontificou dizendo, “sim, eu posso passar os exercícios para você”, mas antes de qualquer outra coisa ele se afastou resolvendo alguma coisa no celular.
 
O cliente dirigiu-se então ao segundo instrutor, pediu auxílio e este se prontificou dizendo, “sim, sem problemas eu monto e acompanho o treino aqui, mas eu estou um pouco ocupado agora, você poderia fazer só esteira hoje, para começar devagar”, e saiu para atender outras pessoas. 

Se sentindo perdido o cliente, procurou o terceiro instrutor, ele parecia bastante ocupado, sempre ajudando alguém e quando parava rapidamente alguém lhe procurava, todo tipo de pessoa se aproximava dele para pedir auxílio, homens, mulheres, jovens e pessoas de mais idade, sempre simpático e cheio de energia, ele parecia contagiar as pessoas que atendia. Num certo momento o cliente conseguiu falar com o instrutor, pediu ajuda e curioso perguntou sobre o que tinha visto, o instrutor abriu um largo sorriso e disse: “Sim, vai ser um prazer te ajudar, obrigado por escolher nossa academia e o que eu faço aqui, é transformar a vida das pessoas através do exercício físico”. E começou a fazer algumas perguntas, sobre a saúde do cliente, seus objetivos, experiência em treinar, falou da importância da avaliação física e outras perguntas levantando todos os dados para começar o trabalho com o novo cliente. 

Três instrutores na mesma sala de musculação de uma academia e tão diferentes. E essa diferença entre eles é a seguinte: O primeiro instrutor, que passava exercícios, tinha um trabalho. O segundo instrutor, que montava treino, tinha uma carreira. O terceiro instrutor, que transformava a vida das pessoas através do exercício físico, tinha um propósito! 

O terceiro instrutor escolheu e era feliz sendo instrutor e treinador pessoal (ah claro, ele tinha muitos clientes), ele tinha consciência da importância do papel do profissional de educação física na sociedade, da importância do exercício físico na vida das pessoas, e isso lhe dava orgulho e satisfação, ele se sentia fazendo parte de algo muito maior. 

Outras pessoas podem ter interesses e paixões diferentes, como na escola ou nos esportes, mas independente da área, se escolherem viver com paixão e propósito, vão colher os mesmos resultados. 

Pense nisso!